Conheça o Fragments, um cliente de BitTorrent para GNOME

A versão 2.0 do Fragments o torna um dos clientes de BitTorrent mais fáceis de usar disponíveis para distribuições Linux.

Fragments é um dos melhores clientes torrent para Linux. E o mais recente Fragments 2.0 é um upgrade significativo, completamente reescrito do zero usando Rust, GTK 4 e Libadwaita.

Além das melhorias técnicas, você também encontrará alguns novos recursos e uma interface de usuário melhorada.

Fragments 2.0: o que há de novo?

Tela inicial do Fragments

Recentemente, o ecossistema de aplicativos GNOME vem passando por grandes mudanças. Na vanguarda dessa mudança está a transição para Gtk4 e Libadwaita. Infelizmente, essa mudança não é pequena, e muitos aplicativos precisam ser reconstruídos do zero para suportar esses novos padrões.

Ao lado de muitos outros desenvolvedores de aplicativos, o desenvolvedor do Fragment Felix Häcker decidiu reconstruir Fragments do zero, lançando-o agora como Fragments 2.0. Como resultado, agora temos um cliente BitTorrent melhorado para Linux.

Algumas das melhorias incluem:

  • Uma nova interface de usuário baseada em Libadwaita
  • Nova arquitetura modular
  • A capacidade de ser usado como controle remoto para sessões remotas do Fragments/Transmission
  • Novo diálogo de preferências com mais opções
  • A capacidade de visualizar estatísticas sobre a rede

Uma nova interface do usuário

Fragments mostrando informações sobre um torrent sendo baixado

Fragments 2.0 agora tem uma nova interface do usuário baseada em Libadwaita. Libadwaita é uma extensão do Gtk4 para aplicativos GNOME para aqueles que não sabem. Ele tem algumas vantagens, sendo o mais notável um visual consistente em todos os aplicativos do GNOME.

É muito mais plano e arredondado do que o tema antigo e, na minha opinião, parece muito elegante.

Você tem um aplicativo BitTorrent de aparência limpa que é fácil de navegar, e você também pode acessar rapidamente algumas opções essenciais.

Nova arquitetura modular

Embora não seja imediatamente aparente, o Fragments 2.0 possui uma nova arquitetura modular. Sob o capô, todas as diferentes partes do aplicativo são modulares. Embora isso possa não parecer tão impactante no início, posso vê-lo tendo um impacto profundo tanto nos usuários quanto nos desenvolvedores.

Em primeiro lugar, deve significar uma manutenção mais fácil, permitindo que os desenvolvedores gastem mais tempo em novos recursos e correções de bugs. Em segundo lugar, também deve significar maior estabilidade para a aplicação. Isso porque se uma parte do Fragments falhar, o resto do aplicativo deve continuar funcionando, sem qualquer impacto significativo sobre o usuário.

Estes são apenas dois dos benefícios desta nova arquitetura que podemos destacar, e com certeza pode haver mais.

Novo diálogo de preferências

Janela de preferências do Fragments mostrando opções gerais

Finalmente, Fragments 2.0 introduz várias opções de configurações frequentemente solicitadas. Entre estes, acho que o mais importante é a capacidade de alterar a pasta padrão para torrents que ainda não foram completamente baixados.

Janela de preferências do Fragments mostrando opções de download

Embora ainda não sejam tão personalizáveis quanto algumas de suas alternativas, essas adições ajudam você a ajustar as configurações para se adequar às suas necessidades.

Algumas das opções incluem:

  • Iniciar automaticamente torrents depois de adicioná-los
  • Ativar/Desativar fila de download
  • Limites de pares personalizáveis
  • Configuração da porta de rede
  • Alternação automática de encaminhamento de porta

Janela de preferências do Fragments mostrando opções de conexão

Controle remoto de sessões do Fragment/Transmission

A capacidade de controlar remotamente seus downloads pode ter um impacto considerável. Com Fragments 2.0, o aplicativo finalmente recebe um recurso semelhante, permitindo que os usuários controlem remotamente outras instalações de clientes torrents Fragments e Transmission.

Isso é extremamente útil para pessoas que usam um servidor de download separado, pois muitas vezes eles não têm acesso diretamente a ele.

Embora isso sempre tenha sido possível com outros aplicativos, o fato de isso estar integrado diretamente ao Fragments o torna um cliente BiToorrent útil para usuários avançados!

Outras melhorias

Opções adicionais de um torrent no Fragments

Além de todas essas mudanças maciças, existem várias correções de bugs e alguns novos recursos.

Alguns dos principais destaques incluem:

  • Link magnet de torrents adicionados pode ser copiado para a área de transferência
  • As estatísticas sobre a sessão atual podem ser visualizadas (velocidade, dados de download total, etc.)

Você pode explorar mais sobre Fragmentos 2.0 em sua página no GitLab.

Download do Fragments

Instale o Fragments no Linux

Fragments está disponível como Snap

Você pode instalar o Fragments pelo Centro de Software:

Fragments no Centro de Software

Se preferir, também pode instalar o Fragments como Snap pela linha de comando:

Comandos para usar no terminal

sudo snap install fragments

Fragments está disponível como Flatpak

Você pode baixar o flatpakref do Fragments no Flathub:

Fragments no Flathub

Se decidir usar o arquivo flatpakref, você poderá abri-lo no GNOME Software, por exemplo. Poderá também executar um comando para instalar através do arquivo. Temos um artigo em que ensinamos como instalar pacotes Flatpak, se precisar.

Você pode instalar o Fragments como Flatpak pela linha de comando:

Comandos para usar no terminal

flatpak install flathub de.haeckerfelix.Fragments

Código fonte do Fragments

O código fonte está disponível no link a seguir:

Código fonte do Fragments

Última atualização deste artigo: 13 de fevereiro de 2022

PROPAGANDA
PROPAGANDA