Quase um ano após Richard Stallman ter sido ‘cancelado’, a Free Software Foundation elegeu um novo presidente

6 de agosto de 2020

Quase um ano depois de Richard Stallman, o presidente fundador da Free Software Foundation ser forçado a renunciar, o conselho da FSF finalmente elegeu um novo presidente.

Geoffrey Knauth, um veterano da FSF, é o novo presidente da FSF

Novo presidente Fsf

O novo presidente é Geoffrey Knauth. De acordo com Phoronix, Geoffrey é professor de ciência da computação no Lycoming College, estado da Pensilvânia, nos EUA. No entanto, não encontrei nenhuma prova para validar essa afirmação.

A própria biografia de Geoffrey no site da FSF menciona que ele é um contratante de software independente, trabalhou como programador, associado sênior, engenheiro de sistemas e analista de sistemas em várias empresas. Ele contribuiu para o desenvolvimento do projeto GNU Objective-C. Ele é bacharel em Economia pela Universidade de Harvard e também tesoureiro da FSF.

Em seu site pessoal (atualizado pela última vez em 2014), descobri que ele também é voluntário da Civil Air Petrol como um piloto de missão. Uma pessoa de muitos talentos, Geoffrey também é fluente nas línguas russa e francesa.

Knauth é membro do conselho da Free Software Foundation há mais de trinta anos. Em sua primeira declaração como presidente da FSF, Geoffrey escreveu:

“O conselho da FSF me escolheu neste momento como um líder servo para ajudar a comunidade a se concentrar em nossa dedicação compartilhada para proteger e desenvolver software que respeite nossas liberdades. Também é importante proteger e aumentar a diversidade de membros da comunidade. É por meio de nossa diversidade de experiências e opiniões que temos criatividade, perspectiva, força intelectual e rigor.”

> O ‘cancelamento’ de Richard Stallman

Richard Stallman é programador e ativista do software livre. Na verdade, ele é o fundador do Movimento do Software Livre. Ele é mais conhecido por lançar o projeto GNU, escrever a GNU General Public License (GPL) e fundar a Free Software Foundation.

Richard Stallman fundou a Free Software Foundation (FSF) em 1985. Ele também foi o presidente fundador da FSF e permaneceu assim até setembro de 2019, quando ele (forçado) renunciou primeiro da universidade MIT e depois do conselho da FSF.

Se você se lembra da cobertura do episódio de Stallman do ano passado, talvez se lembre de alguns detalhes.

Alguns alunos do MIT queriam protestar sobre a doação de Jeffrey Epstein (para o laboratório de IA do MIT). Richard Stallman se opôs à palavra ‘agredido’ no tópico de e-mail de proposta de protesto que mencionava “falecido ‘pioneiro’ da IA Marvin Minsky (que é acusado de agredir uma das vítimas de Epstein”.

O "discurso intelectual de Stallman sobre a escolha de palavras" teria passado despercebido, mas um estudante de robótica iniciou uma campanha de "remova Stallman". Logo foi divulgado pela grande mídia e manchetes sensacionais fizeram de Stallman um defensor de Jeffrey Epstein.

Dentro de uma semana ou mais, Richard Stallman foi "cancelado".

A cultura do cancelamento tornou-se tão prevalente que até mesmo os esquerdistas e intelectuais liberais estão se manifestando contra isso. Apenas no mês passado cerca de 150 liberais eminentes, incluindo JK Rowling, Salman Rushdie e Noam Chomsky assinaram uma carta expressando sua preocupação sobre o cultura de cancelamento tóxico que não deixa espaço para debate e não tolera pontos de vista opostos.

Stallman ainda está liderando o projeto GNU, apesar dos esforços para removê-lo do projeto.

Vamos dar as boas-vindas a Geoffrey Knauth como o novo presidente da FSF e esperamos que ele leve a FSF a novas alturas. Também o abordei para uma entrevista por e-mail. Se a FSF aprovar, você deve ler a entrevista.

Confira também a versão original desse post em inglês
Esse post foi originalmente escrito por Abhishek Prakash e publicado no site itsfoss.com. Traduzido pela rtland.team

Almost a Year After Richard Stallman Was ‘Cancelled’, Free Software Foundation has Elected a new President

Propaganda
Blog Comments powered by Disqus.
Propaganda