Ex-desenvolvedor do Solus está criando uma distribuição Linux verdadeiramente moderna chamada Serpent Linux

5 de agosto de 2020

Ikey Doherty, o desenvolvedor que uma vez criou a distribuição Linux independente Solus anunciou seu novo projeto: Serpent OS.

Serpent OS é uma distribuição Linux que NÃO deseja ser categorizada como “distribuição de desktop Linux leve, amigável ao usuário e focada na privacidade”.

Em vez disso, o Serpent OS tem “objetivos diferentes da oferta principal”. Como? Leia.

Serpent OS: a criação de uma distribuição Linux “verdadeiramente moderna”

Serpent Linux

O Serpent usa a abordagem distro-primeiro, compatibilidade depois. Isso permite que eles tomem algumas decisões realmente ousadas.

Ikey diz que este projeto não tolerará que atores negativos atrapalhem o Linux. Por exemplo, a falta de suporte da NVIDIA para suporte acelerado do Wayland em suas GPUs não será tolerada e os drivers proprietários da NVIDIA serão bloqueados na distribuição.

Aqui está um plano proposto para o projeto Serpent Linux (retirado de seu site):

  • Não há mais divisão de usrbin
  • 100% construído com clang (incluindo kernel)
  • musl como libc, contando com otimizações do compilador em vez de asm inline
  • libc ++ em vez de libstdc ++
  • Variantes binutils do LLVM (lld, as, etc.)
  • Fonte mista/distribuição binária
  • Mudança da linha de base genérica do x86_64 para CPUs mais novas, incluindo otimizações específicas para Intel e AMD
  • Assinaturas baseadas em capacidade no gerenciador de pacotes (hardware/escolha do usuário/etc)
  • UEFI apenas. Não há mais inicialização herdada.
  • Código totalmente aberto, até os scripts de bootstrap/reconstrução
  • Totalmente otimizado para cargas de trabalho sérias.
  • Aplicativos de terceiros que dependem apenas de contêineres. Sem compat-hacks
  • Apenas Wayland. A compatibilidade do X11 por meio de contêineres será investigada
  • Totalmente sem estado com ferramentas de gerenciamento e atualização de patches

Ikey corajosamente afirma que o Serpent Linux não é o Serpent GNU/Linux porque não vai depender de um conjunto de ferramentas ou runtime GNU.

O desenvolvimento do projeto Serpent OS começa no final de julho. Não há um cronograma definido da versão estável final.

Reivindicações muito altas? Mas Ikey já fez isso no passado

Você pode duvidar se o Serpent OS verá a luz do dia e será capaz de cumprir todas as promessas que fez.

Mas Ikey Doherty já fez isso no passado. Se bem me lembro, ele primeiro criou SolusOS baseado no Debian. Ele descontinuou o SolusOS baseado em Debian em 2013 antes mesmo de atingir o estágio beta.

Ele então saiu para criar evolve OS do zero, em vez de usar outra distribuição como base. Devido a alguns problemas de direitos autorais de nomenclatura, o nome do projeto foi alterado para Solus (sim, o mesmo nome antigo). Ikey saiu do projeto Solus em 2018 e outros devs também.

Solus é uma distribuição Linux independente que nos deu o belo ambiente de desktop Budgie.

Ikey já fez isso no passado (com a ajuda de outros desenvolvedores, é claro). Ele deve ser capaz de fazer isso também.

Sim ou Não?

O que você acha deste Serpent Linux? Você acha que é hora de os desenvolvedores tomarem uma posição ousada e desenvolverem o sistema operacional com o futuro em mente, em vez de se apegarem ao passado? Compartilhe suas opiniões.

Confira também a versão original desse post em inglês
Esse post foi originalmente escrito por Abhishek Prakash e publicado no site itsfoss.com. Traduzido pela rtland.team

Ex-Solus Dev is Now Creating a Truly Modern Linux Distribution Called Serpent Linux

Propaganda
Blog Comments powered by Disqus.
Propaganda